concursos, exposições, curiosidades... sobre arte
escolhidos por MARIA PINTO
(Maria Regina Pinto Pereira)

http://maregina-arte.blogspot.com/

terça-feira, 3 de julho de 2018

exposição “A Ilustração Como Porta Para o Mundo - 50 anos da Mostra de Ilustradores da Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha - SESC Bom Retiro - SP

Sesc Bom Retiro Apresenta a Exposição “A Ilustração Como Porta Para o Mundo - 50 anos da Mostra de Ilustradores da Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha”

Exposição comemora 50 anos da Mostra de Ilustradores da Feira em Bolonha (Itália)

O Sesc Bom Retiro recebe pela primeira vez no Brasil uma exposição em parceria com a Feira de Bolonha, organizada pelo Instituto Emília e realizada pelo Sesc São Paulo. Esta parceria, em torno da Mostra realizada em 2016 em Bolonha (Itália), por ocasião dos 50 anos da Mostra de Ilustradores da Feira, ficará em cartaz de 09 de julho a 14 de outubro de 2018.

A Ilustração como porta para o mundo é a versão brasileira da mostra realizada em Bolonha em 2016, que traz além dos 50 artistas escolhidos pela curadoria de Paola Vassalli, um complemento com cinco artistas brasileiros escolhidos sob a curadoria de Dolores Prades. A Mostra internacional está dividida em cinco décadas: 1967 – 1976, 1977 – 1986, 1987 – 1996, 1997 – 2006, 2007 – 2016, cada uma representada por 10 ilustradores que marcaram sua época.

Muitos deles são pouco conhecidos pelos leitores brasileiros, mas foram decisivos na história da ilustração:

1967 – 1976:
1.      Francesco Tullio-Altan (Itália)
2.      Eric Carle (USA)
3.      Patrick Couratin (Franca)
4.      Helme Heine (Alemanha)
5.      Emanuelle Luzzatti (Itália)
6.      David Macauly (USA)
7.      Iela Mari (Itália)
8.      Bruno Munari (Itália)
9.      Ralph Steadman (Inglaterra)
10.  Stepan Zavrel (República Tcheca)

1977 – 1986:
1.      Jean-Louis Besson (França)
2.      Quentin Blake (Inglaterra)
3.      Stasys Eidrigevicius (Lituânia)
4.      Monique Felix (Suíça)
5.      Robert Ingpen (Austrália)
6.      Roberto Innocenti (Itália)
7.      Dusan Kallay (Bratislava)
8.      David Mckee (Inglaterra)
9.      Tony Ross (Inglaterra)
10.  Lisbeth Zwerger (Viena)

1987 – 1996:
1.      Jean Claverie (França)
2.      Klaus Ensikat (Alemanha)
3.      Georges Lemoine (França)
4.      Yan Nascmbene (Franca)
5.      Kveta Pacovská (Polônia)
6.      Cris Raschka (USA)
7.      Alfonso Ruano (Espanha)
8.      J. Otto Seibold (USA)
9.      Max Velthuijs (Países Baixos)
10.  Piero Ventura (Itália)

1997 – 2006:
1.      Beatrice Alemanha (Itália)
2.      Arnal Ballester (Espanha)
3.      Eric Battut (França)
4.      Chiara Carrer (Itália)
5.      Svjetlan Junakovic (Zagrev)
6.      Taro Miura (Japão)
7.      Fabian Negrin (Argentina)
8.      Bente Olesen Nyström (Dinamarca)
9.      Vladimir Radunsky (Rússia)
10.  Shaun Tan (Austrália)



2007 – 2016:
1.      Ofra Amit (Israel)
2.      Bernardo Carvalho (Portugal)
3.      Maja Celija (Eslovênia)
4.      Mara Cerri (Itália)
5.      Philip Giordano (Japão)
6.      Anne Herbauts (Bruxelas)
7.      Suzy Lee (Coréia)
8.      Nooshin Safakoo (Irã)
9.      Alessandro Sanna (Itália)
10.  Klaas Verplancke (Suíça)


A mostra paralela não é apenas um “adendo” à exposição internacional, trata-se de uma pequena, mas significativa seleção do panorama da ilustração brasileira das últimas décadas. É difícil retratar a riqueza da nossa produção através de cinco representantes, mas neste contexto, optamos por enfatizar a diversidade de estilos e de narrativas visuais que marcaram as principais tendências da ilustração brasileira nacional e internacionalmente. Os ilustradores que participam são:

1.    Daniel Bueno
2.    Fernando Vilela
3.    Mariana Zanetti
4.    Marilda Castanha
5.    Odilon Moraes

            A Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha (Bologna Children’s Book Fair) é o principal ponto de referência mundial do livro para crianças e jovens. Criada em 1964, a Feira é considerada um dos eventos culturais e centros de crítica de maior prestígio, credibilidade e ressonância mundiais do livro para a infância.
            Ponto de referência para todos os agentes que trabalham em torno do livro infantil e juvenil (autores, ilustradores, editores, agentes, mediadores), a Feira é responsável, ano após ano, pelo panorama da produção mundial a partir do qual se estabelecem as tendências e os grandes nomes no mercado internacional.
            Dentre as diversas ações promovidas pela Feira, a Mostra dos Ilustradores, criada em 1967, é uma das mais importantes. Para os ilustradores, a Mostra se converteu no espaço privilegiado para veiculação dos seus trabalhos e de seu nome no plano internacional. Os catálogos produzidos a cada Feira a partir de 1971 se tornaram instrumentos de pesquisa para todos os agentes do mercado. Depois de 50 anos, à luz da Mostra que festejou este aniversario, é possível afirmar que é, sem dúvida, a responsável pela formação de gerações de ilustradores e das principais tendências a partir das quais se desenvolveu o livro ilustrado.
Meio século de história não é pouco. A Mostra dos 50 anos representa esta rica trajetória escolhendo um ilustrador a cada ano, de modo a dar um amplo panorama do que foram os 50 anos da Mostra. Para além deste panorama, a importância da Mostra é histórica, pois a partir dela é possível reconstruir e conhecer os principais momentos, as rupturas e inflexões da ilustração nas últimas décadas.
            Daí a importância desta exposição, que percorre e indica trajetórias marcantes, que definiram as principais tendências e pontos altos do desenvolvimento do livro infantil e juvenil. Trata-se de uma Mostra histórica que amplia referencias, possibilitando assim uma educação estética do olhar. O contato com este panorama de excelência do mundo da ilustração só enriquece a formação de leitores e o trabalho de todos os envolvidos com a promoção e produção do livro para crianças e jovens.
            Praticamente todos os grandes autores/ilustradores que marcaram as principais tendências do livro ilustrado nas últimas décadas passaram e foram selecionados pela Mostra dos Ilustradores.

Serviço
A Ilustração Como Porta Para o Mundo - 50 anos da Mostra de Ilustradores da Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha
Abertura, 9/7. 11h.
Visitação de 11/7 a 14/10. Terça a Sexta, 9h às 21h. Sábado, 10h às 21h. Domingos, 10h às 18h.
Grátis. Livre.
Agendamento para grupos: agendamento@bomretiro.sescsp.org.br

Sesc Bom Retiro
Al. Nothmann, 185 – Campos Elíseos.
Acessibilidade: Entrada com acesso para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.
Estacionamento próprio. Valores: Com apresentação de Credencial Plena - R$ 4,50 até uma hora; R$ 1,50 adicional por hora. Não credenciados - R$ 10,00 até uma hora; R$ 2,50 adicional por hora.
Tel: 3332 3600.

Horário de funcionamento: de terça a sexta, das 9h às 20h30; sábados das 10h às 18h30; domingos e feriados, das 10h às17h30.

Oficina Aberta Ateliê de Gravura - Eduardo Haesbaert - Fundação Iberê Camargo - PoA - RS

Eduardo Haesbaert no Ateliê de Gravura - foto Lucas Pierozan (b)
Eduardo Haesbaert no Ateliê de Gravura da Fundação Iberê Camargo. Foto: Lucas Pierozan
Para releases, imagens e outras informações das atividades da Fundação Iberê Camargo, acesse o presskit aqui:https://goo.gl/aw3Gi3

Fundação Iberê Camargo lança Oficina Aberta do Ateliê de Gravura

Ministrada pelo artista Eduardo Haesbaert, de 3 a 28 de julho, a oficina tem o objetivo de promover a experimentação da Gravura em Metal. As inscrições para três turmas em diferentes horários estão abertas até o dia 29 de junho


Fundação Iberê Camargo está lançando a primeira oficina do ano no Ateliê de Gravura, com o objetivo de difundir as técnicas e a experimentação da Gravura em Metal. As inscrições estão abertas até a próxima sexta-feira, 29 de junho (veja o serviço abaixo). 
Oficina Aberta Ateliê de Gravura – experimentações com a gravura em metal será oferecida de 3 a 28 de julho, em três turmas, para adultos com ou sem experiência no ofício que desejem conhecer e experimentar as diferentes etapas de preparação, gravação e impressão de gravura em metal. A relação da gravura com o desenho e a experimentação de técnicas e ferramentas como ponta seca, buril e água-forte, serão temas da prática, onde cada aluno desenvolverá a sua própria gravura e obterá uma edição de 3 cópias.
O ministrante é o artista e gravurista Eduardo Haesbaert – coordenador do Ateliê de Gravura da Fundação, que trabalhou como como técnico e impressor das gravuras de Iberê Camargo. A Oficina também é uma oportunidade para os participantes utilizarem a prensa de cilindro que pertenceu ao artista.
Para Haesbaert, o principal objetivo da Oficina é “promover a aproximação do público com a técnica da Gravura em metal e manter vivo o legado de Iberê Camargo, reconhecido como um dos principais gravuristas brasileiros”.

Sobre o ministrante

Eduardo Haesbaert (Faxinal do Soturno, RS, 1968) iniciou os estudos em artes plásticas na Escola ASPES, Santana do Livramento, em 1980.  Em Porto Alegre, especializou-se na gravura em metal no Atelier Livre da Prefeitura, entre os anos de 1986 e 1989. Foi assistente de Iberê Camargo, trabalhando como técnico e impressor de suas gravuras entre 1990 e 1994. Atualmente é coordenador do ateliê de gravura da Fundação Iberê Camargo, onde desenvolve o Programa Artista Convidado, que acontece desde a criação da Fundação, em 1995. Mais de cem artistas brasileiros e estrangeiros – entre profissionais com trajetórias consolidadas e jovens expoentes da arte contemporânea – já passaram pelo Programa.
Nas exposições individuais do artista, destacam-se: Desumano (Galeria Bolsa de Arte Porto Alegre, 2017), Remove (Paço Municipal de Porto Alegre, 2017), Unanimous Night (Contemporary Art Centre, Vilnius, 2017), Corte Seco | Pó (Espaço Cultura ESPM Sul, 2016), Negro de Fumo (Galeria Bolsa de Arte de São Paulo, 2015), Anotações de uma obra depois das cinco (Fundação Ecarta, Porto Alegre, 2014), Última Cena (Bolsa de Arte de Porto Alegre, 2011), Próximo Plano (Pinacoteca da Feevale, Novo Hamburgo, 2011) e Trabalhos Recentes (Bolsa de Arte de Porto Alegre, 2007). Participou de diversas mostras coletivas, entre elas: Unânime Noite(Bolsa de Arte de São Paulo, 2016), 10ª Bienal do Mercosul (2015), Do Ateliê ao Cubo Branco (MARGS, 2011) e O Triunfo do Contemporâneo (Santander Cultural, 2012). Suas obras fazem parte do acervo do Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli (MARGS) e do Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul (MAC/RS).
Durante sua trajetória de artista recebeu os seguintes prêmios: VI Prêmio Açorianos de Artes Plásticas - Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre – Melhor Exposição Individual 2011 (Última Cena), menção honrosa no VI Salão de Pintura da Cidade de Porto Alegre (1995), Prêmio Especial do Júri pelo Conjunto da Obra no II Salão Victor Meirelles de Florianópolis (1994), Primeiro Prêmio no 16º Salão de Artes Plásticas da Associação Chico Lisboa (1993), Prêmio Secretaria da Cultura do Paraná no 49º Salão Paranaense e Prêmio Brasília de Artes Plásticas no 12º Salão Nacional de Artes Plásticas (1992).
A Fundação Iberê Camargo tem o patrocínio de  ItaúGrupo GPSIBMOleoplanAgibankBTG PactualBanrisul e apoio SLC Agrícola, Sulgás e DLL Group, com realização e financiamento do Ministério da Cultura / Governo Federal. A Traduzca e a Alves Tegam apoiam a exposição As Durações do Rastro.

Serviço

Oficina Aberta Ateliê de Gravura

Período: de 3 a 28 de julho de 2018
Turma 1: terças e quintas das 9h às 12h
Turma 2: terças e quintas das 14h às 17h
Turma 3: sábados das 9h às 12h e das 14h às 17h
Número de Participantes: máximo de 5 alunos por grupo
Valor: R$ 600,00 por aluno. Inscrições até 29 de junho pelo link: https://goo.gl/forms/4NCQBqL0PDwsg5jm2. Material básico incluso na inscrição.
Informações: agendamento@iberecamargo.org.br ou [51] 3247.8000
Endereço: Fundação Iberê Camargo - Avenida Padre Cacique, 2000
Como chegar:
A Fundação Iberê dispõe de estacionamento pago, operado pela Safe Park.
As linhas regulares de lotação que vão até a Zona Sul de Porto Alegre param em frente ao prédio, assim como as linhas de ônibus Serraria 179 e Serraria 179.5. É possível tomá-las a partir do centro da cidade ou em frente ao shopping Praia de Belas. O retorno pode ser feito a partir do Barra Shopping Sul, por onde passam diversas linhas de ônibus com destino a outros pontos da cidade.
Pedestres e Ciclistas: existe uma passagem para que pedestres e ciclistas possam atravessar a via em segurança. A passarela é acessada pelo portão de entrada do estacionamento. A Fundação também dispõe de um bicicletário, localizado nos fundos do prédio.
Instagram: @ f_iberecamargo
Visita virtual Google Artes & Culture - https://goo.gl/wYr75v

exposição - A Biblioteca que Eu Vi - Biblioteca Mário de Andradee - SP

Cyra Moreira, "Sem Título", 2018
A Biblioteca que Eu Vi, coletiva na Biblioteca Mário de Andrade, até 12/08
Reúne trabalhos do grupo Pigmento, formado há sete anos por doze artistas visuais que priorizam a linguagem da pintura, como Adriana Pupo, Céci Pastore, Cyra de Araújo Moreira, Elisa Bueno, Fábio Hanna, Helena Carvalhosa, Lilian Camelli, Mariana Mattos, Marina de Falco, Renata Pelegrini, Rosana Pagura e Vera Toledo. Inclui ainda obras, livros, objetos e documentos do acervo da própria biblioteca. Curadoria de Marcelo Salles

fonte: ARTE!Brasileiros

3ª Feira SUB 2018 - inscrições até 13 de julho

A Feira SUB é uma feira anual de arte impressa e publicações independentes com foco na produção que circula fora do meio editorial tradicional, com conceito artesanal, baixa tiragem e alto valor artístico e inclui: livros de artista, ilustrações, xilogravuras, pôsteres, fotografias, livros, zines, revistas e uma infinidade de produtos impressos. A feira é gratuita para público e expositores.
A Feira SUB traz uma experiência cultural que proporciona o conhecimento de técnicas variadas de produção impressa e outras linguagens artísticas e tem como objetivo:
- apresentar os mais variados formatos de produção independente trazendo diversidade, em termos de formato, linguagem artística e design;
- apresentar trabalhos autorais que são feitos de forma artesanal, com edição limitada e a preços acessíveis;
- fomentar a produção independente e dar visibilidade a artistas e editoras que estão fora do circuito convencional;
- promover uma experiência cultural enriquecedora através do contato entre público e artista/expositor;
- promover palestras e workshops gratuitos para ampliar a discussão sobre produção independente e arte impressa.
Qualquer artista, editora independente ou coletivo, do Brasil ou do exterior, pode participar da Feira, sem taxa para os que forem selecionados.
CRONOGRAMA
– Inscrições:
 até 13 de julho/2018, via online
– Taxa de inscrição: não
– Inscrição: http://bit.ly/2KmiwOV

RESTAURAÇÃO DE ARQUITETURA-PÓS-GRADUAÇÃO - SP


POLICROMIA EM ARTE SACRA -CURSO PRÁTICO - SP


Sábado tem Cinema! - São Paulo em Cartaz - por Lívia Gabbai - projeto Ó: Caminho, Estrada, Avenida



Como um fanzine, que apresenta uma grande colagem de filmes sobre a cidade de São Paulo, por Lívia Gabbai, tendo como um ponto de partida cenas de “São Paulo, Sinfonia da Metrópole” (Adalberto Kemeny, Rudolf Rex Lustig, 1929). Integram essa experiência “Paulicéia” ( Flávio Del Carlo, 1978), “Nove Visões de uma Cidade” (Tv Cultura,1979), “Praça da Sé” (Nilce Tranjan, 1976), “Sangue Corsário” (Carlos Reichenbach,1988), "Olhar e Sensação" ( Carlos Reichenbach, 1994), “Uma rua chamada Triumpho” (Ozualdo Candeias, 1971), e também “Linhas e Passagens”, filme de Lívia Gabbai , realizado a partir das Caminhadas Gráficas pela Água Branca e Freguesia do Ó, dentro do projeto “Ó: Caminho, Estrada, Avenida” de Gilberto Tomé. 


Para saber mais sobre a história do projeto "Ó: Caminho, Estrada , Avenida", acesse: https://graficafabrica.com.br

terça-feira, 26 de junho de 2018

Convocatória Mirares 2018


O Coletivo Olhar Plural busca trazer a fotografia para perto das pessoas, facilitar o aprendizado contínuo e a troca de experiências entre todos os interessados na arte da fotografia, de forma a encantar, envolver, e estimular. Pela terceira vez, com esse objetivo, organiza o Mirar Fest - Festival Itinerante de Fotografia, que ocorrerá entre 26 de julho e 26 de agosto de 2018, na Unibes Cultural, em São Paulo, S.P. Com diversas atividades gratuitas como palestras, workshops e saídas fotográficas, em 2018 teremos também a 1ª exposição Mirares.O tema da Mirares 2018 é Existir, Resistir, e traz um convite à reflexão da existência em todos os seus sentidos e sua relação com a resistência. Trata de um convite a explorar o que ambos os verbos trazem de emoção, ação, memória ou ideia.
A inscrição é aberta a todos os fotógrafos, profissionais ou amadores, que tenham interesse e possuam fotografias de sua autoria que componham um ensaio, com oito a dez fotografias coloridas.
CRONOGRAMA
– Inscrições: até 26 de junho/2018, via email
– Taxa de inscrição: não
– Premiação: não.– Edital + Ficha de Inscrição: http://bit.ly/2Khahny

AZULEJARIA-CURSO PRÁTICO - SP



POLICROMIA EM ARTE SACRA -CURSO PRÁTICO - SP



sexta-feira, 22 de junho de 2018

Exposição "Sobre a mulher livre" - Bruna Alcantara, Bárbara Scarambone e Luiza de Alexandre - SP

FEMINISMO É TEMA DE MOSTRA COLETIVA NA GALERIA RECORTE
 

São Paulo, junho de 2018 – Abandono, racismo, machismo, violência. Com interpretações e técnicas distintas, mas sempre com a colagem em comum, as artistas plásticas Bárbara Scarambone, de Brasília, Bruna Alcantara, de Curitiba, e Luiza de Alexandre, do Rio de Janeiro, trazem para a Galeria Recorte, espaço multicultural localizado na região do Baixo Augusta, em São Paulo, a exposição coletiva "Sobre a mulher livre". A abertura da exposição acontece no próximo dia 28, a partir das 19h.
O feminismo é tema recorrente no trabalho das três artistas, mas cada uma aborda a questão de maneira distinta.
Bruna Alcantara, "bordadeira compulsiva" como se define, mescla a colagem com fotografias e bordados como forma de falar sobre mães solteiras e criticar o machismo. Seu trabalho revela momentos de sua vida, como a descoberta de uma gravidez não planejada ao se mudar para Portugal, onde foi estudar. Bruna participou por duas edições do "Festival Feminista do Porto" e também coleciona individuais em Curitiba, cidade onde vive e trabalha atualmente.
Bárbara Scarambone é uma artista autodidata nascida em Brasília, mas vive e trabalha em São Paulo desde 2006. Inspirada pela estética, pelas cores e sons psicodélicos dos anos 60, pelo surrealismo, pela força do feminino e do verdadeiro experimentalismo livre da geração "Beat", ela cria colagens feitas à mão com a técnica "cut & paste", faz experimentos com aquarela e assemblagens com papéis rasgados. Seus trabalhos são frequentemente encontrados em revistas e periódicos.
Luiza de Alexandre, carioca de Macaé e recém-chegada a São Paulo, encontrou na colagem a maneira de escoar pensamentos e sentimentos. Ela faz uso recorrente de imagens de mulheres negras até desdobrar no uso de cores e texturas puras. Autodidata, Luiza colaborou com trabalho de outros artistas "colab", e tem algumas de suas colagens publicadas em editoriais de moda e comportamento.
 "O feminismo une essas três mulheres, mas cada uma aborda a questão do seu ponto de vista. Bruna tem uma pegada mais política, crítica, chegando a demostrar isso com fotos do próprio corpo, bordadas e com colagens; Bárbara apresenta belos trabalhos minimalistas e cheio de cores, retratados com muita leveza, e Luiza mistura inúmeros elementos da natureza, sombras de personagens e temas fazendo um caos imagético", afirma Michele Micheletto, curadora da Galeria Recorte.
A exposição estará aberta ao público até 11 de agosto. Clique aqui para ver algumas obras da mostra.
SOBRE A GALERIA RECORTE
A Galeria Recorte é um espaço multicultural que reúne arte e bem estar. Única galeria de arte do Brasil voltada exclusivamente para obras que utilizam a técnica de colagem, foi idealizada pela arquiteta e empresária Anna Gadelha e tem a curadoria de Lucas Ribeiro “Pexão” e Michele Micheletto. Tem como principal característica apresentar artistas que estão despontando no mercado independente de arte. Inspirada em espaços híbridos pelo mundo, o local também conta com um café com opções veganas, uma barbearia e um salão de cabeleireiros.

Festival Interfoto 2018


O Festival INTERFOTO ITU 2018 lança convocatórias a artistas de todas as partes do mundo, tendo por objetivo construir, com os trabalhos selecionados, uma exposição coletiva dentro da programação do festival.
Convocatórias:
- Convocatória da Avistar:
Nesta convocatória, um desafio aos fotógrafos e artistas: A criação de uma imagem fotográfica inspirada nas aves, nas suas cores, suas formas, seu espírito de liberdade… Um desafio para que o fotógrafo e seu olhar, entrem em simbiose com elas em busca desta imagem inédita, pessoal, desafiadora e instigadora.
- Convocatória Roda da Vida:
Um instante, um click, um registro, uma lembrança, uma emoção, uma vida.
A fotografia e sua incrível capacidade de transformar momento em eternidade. A fotografia e sua incrível capacidade de criar momentos e lembranças imaginarias. A fotografia criando vidas, sonhos e desejos possíveis, ou não! Re-criar e re-escrever a roda da vida através da fotografia, desafio imagético proposto nesta Convocatória.
Quinze trabalhos em cada uma das convocatórias serão selecionados e contemplados com uma exposição coletiva em um dos espaços expositivos escolhido pela comissão organizadora.
Estão habilitados a participar da convocatória artistas nacionais e internacionais, residentes ou não no Brasil com idade mínima de dezoito anos. A inscrição será limitada por uma única imagem por artista (dípticos e trípticos serão considerados uma imagem).
CRONOGRAMA
– Inscrições: até 29 de junho/2018, via online
– Taxa de inscrição: não
– Premiação: exposição durante o Festival.

– Edital + Inscrição: http://bit.ly/2MCKPdz

15º Salão Nacional de Fotografia Pérsio Galembeck



O 15º Salão Nacional de Fotografia Pérsio Galembeck é promovido pela Prefeitura Municipal de Araras, por meio da Secretaria Municipal de Ação Cultural e Cidadania e faz parte do Calendário Cultural do Município de Araras. Destina-se a estimular o interesse pela fotografia, em todas as suas formas. Tem caráter exclusivamente cultural, sem vínculo à aquisição ou uso de qualquer bem, direito ou serviço e terá as inscrições abertas em todo o território nacional, para fotógrafos profissionais e amadores, brasileiros e estrangeiros radicados no Brasil, sem limite de idade.
O concurso terá duas categorias e cada participante poderá concorrer com até três fotografias em cada uma, sendo em ambas obrigatória a adequação ao tema proposto:
- Categoria Brasil: para fotógrafos residentes em qualquer cidade do país, com imagens que contemplem todo o território nacional.
- Categoria Araras: para fotógrafos residentes em qualquer cidade do país, com imagens realizadas exclusivamente no município de Araras/SP
O 15º Salão Nacional de Fotografia Pérsio Galembeck terá como tema A Força Feminina.
CRONOGRAMA
– Inscrições:
 até 1º de julho/2018, via email
– Taxa de inscrição: não
– Premiação: de R$ 800 a R$ 2.000, de acordo com a classificação e a categoria inscrita.

– Edital + Ficha de Inscrição:
 http://bit.ly/2M2ToNI

palestra Música e pintura, identidade sonora e identidade visual - - Gilberto Ferri - Auditório da Livraria Martins Fontes Paulista - APAP - SP

"Música e pintura, identidade sonora e identidade visual" que será
proferida pelo músico e compositor Gilberto Ferri.

Quando: 28 de junho dE 2018

Horário: 19 às 21h30

Local: Auditório da Livraria Martins Fontes Paulista

Endereço: Av. Paulista, 509 - Próximo ao metrô Brigadeiro



Todos os seres humanos possuem uma Identidade Sonora, que, como
uma impressão digital, os individualiza.

Nesse encontro, a partir de sua vivência e experiências com a
música,Ferri expõe suas ideias sobre esse tema, colocando aos participantes
questões que suscitam a possível correlação entre Identidade Sonora e
Identidade Visual. Nesse contexto, exemplos musicais de culturas diversas
e suas composições, dão suporte à fundamentação de suas considerações.

Desde 2013, a atual diretoria da APAP Associação Profissional de Artistas Plásticos de São Paulo, vem realizando no auditório da Livraria Martis Fontes Paulista o “Ciclo de Palestras”, cujo objetivo principal é
compreender as especificidades da profissão do artista plástico abordando importantes  temas teóricos, práticos e conceituais que fazem parte do seu cotidiano.

O "Ciclo de Palestras" é gratuíto a todo o público interessado.




A diretoria


Presidente: Walter Miranda                 Vice-Presidente: Cirton Genaro       
1º Tesoureiro: Fátima Lourenço             2º Tesoureiro: San Bertini
1º Secretário: Astrid Salles               2º Secretário: Heloize Rosa
Conselho Fiscal: Alcindo Moreira Filho, Cássio Lázaro e Gilberto Salvador
Conselho Consultivo: Ângelo Milani, Cesar Romero, Nelson Screnci, Ricardo
Aprígio e Yone di Alerigi


APAP Associação Profissional de Artistas Plásticos de São Paulo -
www.apap.art.br

Exposição ICEBERG - Fernando Velázquez - Zipper Galeria - SP





ICEBERG

Exposição individual de Fernando Velázquez na Zipper Galeria

Abertura: 21 de junho de 2018, às 19h

Em cartaz até 28 de julho de 2018

Dando sequência à sua pesquisa no campo da arte e tecnologia, o artista Fernando Velázquez apresenta sua terceira exposição individual na Zipper Galeria. Aberta no dia 21 de junho, “Iceberg” apresenta um conjunto de novos trabalhos que remetem ou exploram alegoricamente a figura do iceberg. “Enxergamos uma porção ínfima da totalidade do iceberg já que a maior parte da sua massa encontra-se submersa. Alegoricamente, poderíamos pensar que o nosso entendimento da realidade se assemelha a um iceberg já que necessariamente o campo do que conhecemos será infinitamente menor que o campo do que seria possível conhecer. O inconsciente, por exemplo, poderia ser a parte invisível de um iceberg chamado consciência", afirma o artista.

Ao admitir que o conhecimento a respeito de qualquer fenômeno será sempre relativo, parcial e incompleto, Velázquez se dispõe a pensar questões da contemporaneidade relacionadas ao crescente impacto da tecnologia no cotidiano e na nossa capacidade de estabelecer um diálogo crítico neste cenário. A exposição ocupa a galeria principal com uma instalação multimídia na qual lasers acoplados a totens de madeira desenham um grid ortogonal, como paralelos e meridianos em um mapa, em alusão à geografia e ao território. 

Cada totem – cuja estrutura formal remete à vegetação do mangue – é uma pequena estação inteligente que conta com um microcomputador e um sensor. Em conjunto, os totens se comunicam entre si, via wifi. Utilizando dados da movimentação do público na sala, como velocidade, posição e distância, um algoritmo de inteligência artificial altera a posição dos feixes de laser modificando a configuração do território. Por baixo dos feixes de laser, no chão da galeria, é projetado uma animação em vídeo que apresenta de maneira alegórica e sintética o conhecimento acumulado pela humanidade – alfabetos, mapas, patentes, documentos, fórmulas, fotografias – em assim um sistema que contrasta a inteligência artificial dos algoritmos e máquinas com a inteligência humana.

Complementa a experiência imersiva uma trilha sonora especializada em 4 canais, sincronizada aos lasers e à animação em vídeo. A trilha sonora será edição em um álbum em vinil, cujo rótulo permite a leitura por realidade aumentada. 

Um filme em realidade virtual em 360º (no qual icebergs flutuam e se modificam em um ambiente de gravidade não convencional) e um letreiro em neon com a inscrição "loop (mente a mente)” – sentença que emula a sintaxe de uma linguagem de programação e sugere que o entendimento da realidade é mediado pela mente e suas inerentes contradições e agenciamentos – completam o conjunto de trabalhos.

“Iceberg” fica em cartaz até 28 de julho.

Sobre o artista

Fernando Velázquez (Montevidéu, Uruguai, 1970 - vive e trabalha em São Paulo desde 1997) é artista multimídia. Suas obras incluem vídeos, instalações e objetos interativos, performances audiovisuais e imagens geradas com recursos algorítmicos. Explora a relação entre natureza e cultura, colocando em diálogo dois tópicos principais: as capacidades perceptivas do corpo humano e a mediação da realidade por dispositivos técnicos. Mestre em Moda, Arte e Cultura pelo Senac-SP, pós graduado em Video e Tecnologias On e Off-line pelo Mecad de Barcelona, participa de exposições no Brasil e no exterior com destaque para The Matter of Photography in the Americas, Cantor Arts Center, Stanford University (EUA, 2018); Reinventando o Mundo, Museu da Vale, (Vitória-ES, Brasil, 2013), Emoção Art.ficial Bienal de Arte e Tecnologia, Itaú Cultural (São Paulo, Brasil, 2012), Bienal do Mercosul (Porto Alegre, Brasil, 2009), Mapping Festival (Suiça, 2011), WRO Biennale (Polônia 2011) e o Pocket Film Festival no Centro Pompidou (Paris, 2007). Recebeu, dentre outros, o Premio Sergio Motta de Arte e Tecnologia (Brasil, 2009), Mídias Locativas Arte.Mov (Brasil, 2008) e o Vida Artificial (Espanha, 2008). Foi professor convidado na PUC-SP, FAAP-SP e Senac-SP e ministra palestras e workshops em instituições públicas, privadas e do terceiro setor como, Stony Brook University (Nova Iorque), Cyberfest (São Petesburgo, Rússia), Naustruch (Sabadell, Espanha), Visiones Sonoras (Morelia, México). Foi curador dentre outros do Festival Motomix (2007) e do Festival Manobra (2009), e das exposições Adrenalina (2014) e Periscopio (2016). Desde 2015 é o curador e diretor artístico do Red Bull Station em São Paulo.

Serviço

Iceberg 

Exposição individual de Fernando Velázquez na Zipper Galeria

Abertura: 21 de junho de 2018, às 19h

Em cartaz até 28 de julho de 2018

R. Estados Unidos 1494, Jardim América – Tel. (11) 4306-4306

Segunda a sexta, 10h/19h; sábado, 11h/17h

domingo, 17 de junho de 2018

V Premio Ankaria libro de artista


V Premio Ankaria libro de artista

La Fundación Ankaria convoca el V Premio Ankaria al Libro de Artista, iniciativa que se originó en 2014, asociada a la exposición “La Palabra Pintada”, y con la que se pretende impulsar la producción de libros de artista entre la comunidad creadora. Tras el éxito de ediciones pasadas, la Fundación ha decidido continuar con el proyecto y convocar la quinta edición del premio.

Los proyectos ganadores pasarán a formar parte de la próxima exposición en itinerancia de “La Palabra Pintada”. Esta muestra abarca una gran variedad de lenguajes plásticos y técnicas, como consecuencia de acoger a  diferentes artistas, y se revela como un ente vivo, en constante evolución, que crece con cada nueva edición y trata seguir aportando novedades al apasionante mundo del libro de artista. 

El premio se ha convertido en sus cuatro años de vida en el más importante que se convoca en España dentro de esta especialidad y está abierto a la participación de artistas plásticos procedentes de todo el mundo. A la pasada edición se presentaron un total de 345 proyectos.

https://www.fundacionankaria.org/proyectos/v-premio-ankaria-libro-de-artista/

see webpage | contact